A carta da Terra

“Estamos diante de um momento crítico da história da Terra, numa época em que a humanidade deve escolher seu futuro”.  É dessa forma que se inicia o documento conhecido como “Carta da Terra”, no qual vemos uma declaração de princípios éticos fundamentais para a construção, no século 21, de uma sociedade global justa, sustentável e pacífica.    O projeto da Carta da Terra começou como uma iniciativa das Nações Unidas, mas se desenvolveu e finalizou como uma iniciativa global da sociedade civil. Em 2000, a Comissão da Carta da Terra, uma entidade internacional independente, concluiu e divulgou o documento como a Carta dos Povos.

 

A carta da Terra traz uma proposta de mudança social, cultural e econômica, colocando a proteção da Terra como um dever sagrado, inerente à perpetuidade da espécie humana e de toda biodiversidade do planeta, para que a mesma possa ser desfrutada por todas as gerações garantindo assim, a preservação do “Nosso Lar”.

 

Considerando a pobreza, a degradação ambiental, a injustiça social, os conflitos étnicos, a paz, a democracia, a ética e a crise espiritual como problemas interdependentes, a carta da Terra traz à tona discussões que vão do âmbito moral e ético até o caráter religioso, funcionando como uma critica aos padrões dominantes de produção e consumo, estes que estão causando devastação ambiental, esgotamento dos recursos e uma massiva extinção de espécies.

 

Os benefícios do desenvolvimento não são divididos de forma igualitária entre todos os povos, a diferença social entre ricos e pobres vem aumentando de forma assustadora, contrariando assim a proposta da “Revolução verde“, criada em 1966. Com as desigualdades aumentando e a destruição da biodiversidade terrestre, a humanidade caminha para um futuro incerto e tenebroso, com a possibilidade de sua total destruição.

 

É neste momento que a Carta da Terra nos traz uma proposta de mudança social, política e econômica, buscando uma mudança nas relações interpessoais e do homem com a natureza. Respeitar e cuidar da comunidade de vida, justiça social e econômica e integridade ecológica são alguns dos princípios defendidos pela Carta da Terra em busca de uma vida melhor, na qual o homem respeita as diferenças de seus semelhantes e busca uma relação de sustentabilidade com a natureza.

 

Carta da Terra é um documento magnífico, que não deve ser encarado como uma solução definitiva para os problemas do mundo contemporâneo, mas sim, um primeiro passo, rumo a um futuro melhor pautado no respeito e no amor. “Que o nosso tempo seja lembrado pelo despertar de uma nova reverência face à vida, pelo compromisso firme de alcançar a sustentabilidade, a intensificação dos esforços pela justiça e pela paz e a alegre celebração da vida”.

 

Lucas Henrique Gomes Ferreira, 1ºano TA do EM

Compartilhe esse artigo

Postagens Relacionadas