Celebração dos 110 anos do Colégio Santa Maria

             Os 110 anos do Colégio Santa Maria foram celebrados com uma Missa em Ação de Graças, presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, dom João Justino de Medeiros. O capelão do Colégio São Paulo da Cruz, padre Roberto Luiz Ferreira, foi um dos padres concelebrantes. A celebração foi realizada na quinta-feira, dia 19, na Capela Nossa Senhora do Líbano, que fica ao lado da unidade do Santa Maria Floresta.

 

            Diretores, coordenadores, professores, alunos e pais participaram da celebração. Na procissão de entrada, as bandeiras das oito unidades do Colégio Santa Maria foram levadas até o altar. Na sua homilia, dom João disse que vivemos um tempo em que as pessoas falam muito e ouvem pouco. O bispo salientou que, por meio da escuta, a nossa fala pode ser mais ponderada. “Deixo como desafio aos educadores qualificar mais a sua fala por meio da escuta de Deus, do outro e de si mesmo”, propôs.

 

            Segundo o padre Roberto, a celebração dos 110 anos do Colégio Santa Maria é de grande importância para toda a sociedade belorizontina, já que é mais de um século de trabalho na área educacional, promovendo a cidadania, os bons valores e a educação de qualidade. “Isso sem contar o protagonismo social difundido pela Arquidiocese de Belo Horizonte no meio da comunidade escolar”, ressaltou.

 

 

História

            Para atender a demanda por uma educação de qualidade da sociedade belo-horizontina, nos primórdios da capital, a solução encontrada por um dos fundadores, o Conselheiro Afonso Pena, com o apoio do então ministro das Relações Exteriores da República, Barão do Rio Branco, foi a criação de um colégio nos moldes da conceituada educação francesa, o Santa Maria.

 

                 A intermediação do Barão do Rio Branco resultou na vinda das Irmãs Dominicanas, de Sévres, na França. Em 20 de julho de 1903, um grupo de religiosas e um capelão inauguraram a primeira instituição de ensino da nova capital, a unidade floresta. As Irmãs Dominicanas ficaram à frente do colégio até 1968, ano em que ele integrou-se ao Instituto Arquidiocesano de Educação – criado em 1971 pela Sociedade Mineira de Cultura (SMC) -, mais tarde, Sistema de Ensino Arquidiocesano.


{gallery}/2013/110{/gallery}

Compartilhe esse artigo

Postagens Relacionadas